Facebook YouTube Contato

Acelerando sem rumo

O DataFolha mostra que o frisson em torno do prefeito João Doria segue arrefecendo.

Ainda que a aprovação tenha apenas oscilado três pontos para baixo, de 44% aos trinta dias de mandato para 41% agora, a desaprovação disparou nove pontos, subindo de 13% para 22% no mesmo período.

Era esperado, acontece com qualquer um que vá para o quinto andar do Matarazzo. Mas por tão acentuado, merece atenção e sugere revisão de rota.

Digo, a tomada mostra que a realidade, como sempre, vai atropelando a expectativa. Mas não explica tudo.

O muxoxo que abarcava 39% da cidade no começo de fevereiro se espalhou e hoje 53% dos paulistanos acham que o João trabalhou menos do que o esperado. Pior: os insatisfeitos com a nova gestão no bairro onde moram já são 74% no todo, e 77% entre os que ganham até dois salários mínimos.

Pudera. Para ficar num exemplo que se destaca, ao cumprir a promessa de aumento das velocidades nas marginais (erro crasso, como já botei aqui), Doria levantou a torcida, mas a conta chegou. Mortes que não aconteciam há 25 meses já ultrapassam dois dígitos.

Ato contínuo, o prefeito estacionou em local proibido, apareceu sem cinto de segurança, jogou flores feito lixo pela janela do carro, e hoje soubemos que perdeu a habilitação por excesso de pontos, notadamente por excesso de velocidade – e ainda se considera vítima das autuações!

Não há campanha publicitária que fale mais alto do que o exemplo. Principalmente quando conta com o agravante de onerar em milhões de reais o caixa municipal, já combalido pela magnânima bravata da manutenção da tarifa de ônibus.

Urge uma revisão de rota. Acelerar sem rumo só causa atropelos.

E mais distante mas não menos relevante, com tantos problemas locais, nacionalizar o discurso só atrapalha. Especialmente quando se compra a tarefa inglória de defender a presença do PSDB no governo Temer, encurralado por denuncias gravíssimas corrupção passiva, organização criminosa e obstrução da Justiça.

 
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn
1 Comment  comments 

Uma resposta

  1. [...] que ontem escrevi sobre outro amigo que viveu perto deles durante essa época. Meu amigo também, hoje nosso prefeito João Doria. [...]