Facebook YouTube Contato

“Gente de bem”

Ontem, na aula de filosofia, aprendemos a fronteira que Aristóteles traçou entre o “homem de bem” e o cidadão. O primeiro era definido por duas virtudes: confiabilidade e resiliência. O segundo, além destas, tinha que ser prudente e saber mandar e obedecer – se na democracia o cidadão faz as leis, é natural que as obedeça.

Andando por aí ouço tanta gente falando na tal “gente de bem”. Que bom seria se falassem mais em cidadania.

 
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn
No Comments  comments 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>