Facebook YouTube Contato

A inutilidade do paiol tucano

Fosse esta eleição uma batalha militar de fato, Geraldo Alckmin teria o arsenal mais poderoso. Em seu paiol há metade do tempo de televisão e centenas de milhões de reais.

Ocorre que, sem tropa ou aliados, fogo amigo nas trincheiras, e sequer um alvo definido, todo esse poderio equivale a uma quitanda repleta de chuchus.

De novo, uma batalha militar só se justifica quando não há outro caminho para salvar o país. De modo que, para provar que tem compromisso público, Alckmin deveria oferecer seus recursos a alguém com capacidade de maneja-los.

 

 
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn
Comentários desativados  comments