Facebook YouTube Contato

O desjejum de Bolsonaro

O desjejum de Bolsonaro

 

Quando o então candidato Bolsonaro surgiu nas redes tomando o desjejum, tuitando, sem prato e com o célebre leite Moça direto da lata, naturalmente imaginamos que era uma peça de marketing do “homem comum”, o presidenciável igual a todo mundo, ou pelo menos a grande maioria assoberbada pelo relógio.

Exemplos não faltam. Matteo Salvini, o populista italiano, faz com Nutella. Mas a charla é antiga. Jânio Quadros em palanque sacava sanduíche de mortadela do bolso do paletó. George W. Bush foi eleito pescando num lago em seu rancho no Texas. Ao embarcar o peixe, exibia o troféu para a câmera e cumprimentava com o boné; então atirava o boné na água e botava o peixe na cabeça. Mensagem subliminar: Vote Bush, que é idiota como você.

O que surpreende no desjejum de Bolsonaro é a semelhança com o desjejum de seu governo. A esculhambação não teve limite, inclusive já escrevi aqui. E insisto que gostaria de esperar pelo menos três refeições a digestão e uma noite de sono. Mas ontem foi algo inimaginável até para alguém pessimista.

. Filhas do Queiroz não aparecem para depor no MP-RJ;
. Queiroz aparece internado no EINSTEIN e tem alta;
. Onyx usou 80 notas fiscais (varias em série) de firma de amigo para receber R$317mil da Câmara;
. Pastora Damares acusada de agressão física a balconista, que alega ter vídeo;
. Filho de Gal Mourão é promovido no BB e passará a ganhar quase R$35mil, fora a possibilidade de bônus de milhões por recisão dentro de dois anos;
. Rodrigo Maia acena reatar com PT e diz que “partido não pode ser suprimido”;
. Governo (orgulhoso?) usa TV pública para divulgar marca “governo Bolsonaro”, o que é ilegal;
. Reunião do presidente Bolsonaro com ministros termina sem coletiva de ministro-chefe da Casa Civil

Publiquei a lista acima no Facebook e minha amiga Cecília Serra compartilhou com a pergunta certeira: falta muito para terminar o expediente?

Faltava. Para diretoria do Inep, que coordena o Enem, foi nomeado Murilo Resende Ferreira, que defendeu a invasão do Congresso, escreveu que o papa Francisco é Maçom e que a Pepsi usa material abortivo em pesquisa.

Cá com meus botões imaginei que o PaGue poderia levar para o governo o Circuit Breaker, tipo de Imosec que o baronato do mercado usa quando dá piriri no baixo clero.

Pois vejam que antes do final do expediente ainda deu tempo para o ChanCelerado tirar o Brasil do Pacto Mundial para Imigração.

Anota aí, freguesa. Se a vida no Brasil vai piorar, sair daqui pode ficar pior. Notadamente para as patrícias, sempre confundidas com operárias do amor em qualquer posto alfandegário.

 
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn
Comentários desativados  comments