Facebook YouTube Contato

Sem novidade ou Leda Nagle, flor da ralé

Salta aos olhos a indignação de parte da sociedade ante as declarações dos Bolsonaro e seu entorno. Desde que o 03 falou em AI-5 em entrevista à jornalista Leda Nagle, como que surpresas, surgem vozes espantadas.

Como se não soubéssemos quem são os Bolsonaro. Como se não fosse público que o pai historicamente exalta a ditadura militar, sugere fuzilar e varrer do mapa adversários, afirma ser favorável à tortura e defende torturador, ataca a imprensa diariamente e ameaça anunciantes entre outras barbaridades que preferiram não levar a sério.

Como se o próprio 03 não tivesse falado em “um cabo e um soldado” para fechar o STF. Ele já era deputado, já atentava contra a Constituição, mas só agora resolveram tomar providências.

Quem assistir à entrevista inteira poderá ligar os pontos e ver que a coisa é orquestrada. Perguntado sobre ter ido armado visitar o pai no hospital, 03 admite que é uma estratégia narrativa, para fazer as pessoas se acostumarem com a presença de armas na sociedade. Mas o mais importante é saber que é tudo estratégia narrativa, inclusive ter falado em AI-5.

Mais do que sugerir que as ruas brasileiras podem virar Santiago do Chile, os Bolsonaro assim desejam e por isto trabalham, porque sabem que gente do tipo deles só pode exercer o poder através da força. Trabalham desde o começo do governo diariamente por algo que justifique um regime de exceção.

Tentaram uma guerra com a Venezuela, provocaram o Hezbollah em solo israelense, cutucaram o Irã no caso do navio, proferem declarações ofensivas a familiares de mortos e desaparecidos na ditadura militar, fazem questão de manter a tensão elevada na esperança de um estouro de boiada.

Agora, com as agitações em diversas capitais latino-americanas e em outros países e territórios mundo afora, viram a oportunidade de aproveitar o clima para conseguir algo semelhante no Brasil que sirva de argumento para prender e arrebentar adversários.

A narrativa começou com blogueiros e influenciadores bolsonaristas há alguns dias, na esteira do julgamento da prisão em segunda instância no STF. Perdeu algum folego com o adiamento, mas segue no radar, e agora a estratégia é elevar a pressão até o dia do encerramento, previsto para daqui a uma semana, inclusive com manifestações já convocadas pela base bolsonarista.

Eduardo foi à Nagle falar do AI-5, o pai fez que não entendeu, o general Heleno avalizou dizendo que falta estudar como vai ser e, sobre a hipótese de cassação – prevista na Constituição, portanto legal e democrática –, o irmão mais velho reagiu dizendo que seria um golpe, justamente para normalizar o que se pretende.

Como se vê, de bobos eles nada têm. Mas são ignorantes. Se a ditadura militar não obedeceu o marechal Castello Branco e cassou apoiadores de primeira hora, num eventual endurecimento com apoio das Forças Armadas esses milicianos corruptos seriam os primeiros a amanhecer vendo o sol quadrado.

Enfim, de novo: sem novidade. Sabíamos que assim seria. Resta saber como sairemos dessa.

E como tangenciar o apoio social. O que não falta é gente amargurada, deprimida e ignorante para alimentar o monstro. O exemplo maior é a própria jornalista Leda Nagle, flor da ralé. Ao ouvir o moço falar em AI-5, ela, que emprestou a tanga para o Gabeira pisar na areia branca quando voltou do exílio, não o repreendeu. Depois celebrou estar sendo falada, “prova de que não está morta”. Quer dizer, é a existência a qualquer preço, mesmo que seja a infâmia.

 
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn
2 Comments  comments 

2 Respostas

  1. Lil Chiesa

    Eu tinha uma imagem completamente distorcida da Leda Nagle.