Facebook YouTube Contato

O taxi/uber van chegou e o bicho vai pegar

Dia desses topei com uma perua branca, do tamanho de uma Kombi, só que moderna e importada da China. Até aí, nada de novo: São Paulo está cheia de carros assim. A novidade estava na placa vermelha e no luminoso instalado no teto. Era um taxi para sete tripulantes.

A novidade é notícia porque vai mudar, nos próximos anos, ou quem sabe meses, a relação das pessoas com o transporte. Além do taxi van, ainda raro, há por aí aplicativos de transporte coletivo que unem a turma da firma, o pessoal da faculdade, os vizinhos que desembarcam juntos no terminal e ainda têm um ou dois quilômetros para chegar em casa. É evidente que serão cada vez mais comuns.

No transporte rodoviário, de turismo ou bate-volta diário, a novidade já impactou as companhias tradicionais, que reagem com lobby ou liminares judiciais para manter sua “reserva de mercado”.

Com a iminente popularização nas cidades, onde vive a maioria das pessoas, o impacto será proporcional. Não me recordo de locaute de ônibus rodoviário. Mas o último urbano promovido pelos tubarões paulistanos machucou a população numa quinta-feira fria e com garoa. E a Prefeitura, apavorada, cedeu. Antes do fim da semana, entregava de bandeja mais quinze anos e R$ 65 bilhões ao chamado cartel do ônibus.

Especialistas notam que a chegada do Uber e semelhantes, que provocou conflitos graves com taxistas no mundo inteiro, na verdade tirou muito mais passageiros dos ônibus do que dos taxis. E a tendência, óbvia, é que o fenômeno se amplie a curto prazo. A turma da firma, o pessoal da faculdade, os vizinhos que desembarcam juntos no terminal e ainda têm um ou dois quilômetros para pela frente, tendo a possibilidade de rachar uma van confortável que vai até a porta de casa, por menos dinheiro do que o ônibus, vão aderir em massa. Como reagirá o cartel?

As gestões municipais entre 2021 e 2024 prometem ser dificílimas. Mais do que nunca precisaremos de gente com preparo político e técnico e uma quase que sobrenatural capacidade de liderança. Pela frente temos um ano para escolher. Convém prestar muita atenção nos nomes que se apresentam.

 
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn
Comentários desativados  comments