Facebook YouTube Contato
Home Posts tagged "1964"
formats

Rememorar 1964 requer força e prudência

No começo dos anos 1960, seduzido por uma campanha repleta de factoides do populismo mais baixo, o Brasil elegeu um maluco para a Presidência. Ele não passava leite condensado no pão nem despachava calçando chinelos, mas em comício sacava sanduíches do bolso do paletó, em cujos ombros usava caspa artificial. E falava em varrer adversários,

 
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn
Comentários desativados  comments 
formats

1964: Quem cala, consente

Comentar o vídeo exaltação distribuído pelo Planalto sobre o golpe de 1964, mostrando o que ele tem de mentiroso e abjeto, muita gente já fez bem feito. Espero que as providências legais sejam tomadas pelos demais poderes e/ou pelas instituições que restam em pé. Dentro do absurdo, dois detalhes chamaram minha atenção. Primeiro a menção

 
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn
Comentários desativados  comments 
formats

Feliz 1964

Neste domingo tem festa para celebrar o golpe de 1964. Digo, o alvorecer da Redentora. Foram 21 anos gloriosos sem comunismo, mamadeira de piroca ou golden shower. O busto do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra não ficou pronto. Posto Ipiranga não pagou a entrada. E sem lei Rouanet a loja Havana não topou a despesa.

 
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn
Comentários desativados  comments 
formats

Mourão 2.0

Era uma vez um governo tão fraco, mas tão fraco, que um piquete da torcida do América derrubaria. Até que num 31 de março, em Minas Gerais, um general de pijamas acordou injuriado e marchou. Chegou ao Rio de Janeiro no primeiro de abril e tomou o poder, onde seus coleguinhas, valendo-se de atrocidades diversas,

 
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn
Comentários desativados  comments 
formats

A mea culpa do Marcio Thomaz Bastos

E o Marcio Thomaz Bastos encerra 2012 falando em degeneração do processo penal no Brasil. Não li nem vou ler o artigo publicado no Consultor Jurídico, que inclusive nem ele (há quem prefira Ele) quer comentar. Prefiro tirar minhas conclusões sozinho e entender que evidentemente trata-se de mea-culpa, posto que o próprio deve estar arrependido

 
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn
2 Comments  comments