Facebook YouTube Contato
Home Posts tagged "Jango"
formats

Se segura, freguesia

Numa coluna recente o Antônio Prata meteu: não sou burro, sou inteligente, mas sou trouxa. Já o elogiei e peço licença para me filiar ao partido dos trouxas inteligentes, até porque é urgente fazer oposição aos burros espertos. Uma vez filiado, e sendo democrático o partido, meto eu meu palpite: como ninguém é esperto o

 
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn
Comentários desativados  comments 
formats

Rocketman e as estrelas que esquecemos de contar

Da música dos negros do sul dos Estados Unidos nasceu o jazz, que ganhou o mundo, e que tem pelo menos duas crias internacionais: o Rock and roll e a Bossa Nova. Estou com isso na cabeça desde que, espectador tardio, assisti Rocketman no cinema. Especialmente por causa da cena em que, chegando aos Estados

 
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn
Comentários desativados  comments 
formats

Tabata Amaral e a parapolítica

Acredito que Tabata Amaral tenha votado por convicção a favor da reforma da Previdência. E, de modo geral, tenho gostado do mandato da deputada. Mas duvido que por convicção ela tenha se filiado e se candidatado pelo PDT, assim como duvido que seu silêncio ante a crise que envolve congressistas que votaram contra ou a

 
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn
Comentários desativados  comments 
formats

Nota sobre entrevista de segunda-dama

Se no Brasil não estamos acostumados a ouvir voz de primeira-dama, da segunda-dama ou vice-primeira-dama não me lembro de jamais ter ouvido. Ruth Cardoso era intelectual com vida própria e discreta. Dona Mariza não falava. Dilma era solteira. Marcela Temer apareceu e, depois do Joesley, sumiu. Assim como Michele Bolsonaro, que falou em libras na

 
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn
Comentários desativados  comments 
formats

Rememorar 1964 requer força e prudência

No começo dos anos 1960, seduzido por uma campanha repleta de factoides do populismo mais baixo, o Brasil elegeu um maluco para a Presidência. Ele não passava leite condensado no pão nem despachava calçando chinelos, mas em comício sacava sanduíches do bolso do paletó, em cujos ombros usava caspa artificial. E falava em varrer adversários,

 
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn
Comentários desativados  comments 
formats

FHC foi mais longe do que precisava

Na entrevista ao repórter Beto Bombig do Estadão, o presidente Fernando Henrique usou mais anos do que precisava para definir o perigo da influência da BolsoFamília no governo. Dizer que “Assistimos ao renascimento da família imperial” soou mal, tanto pelo Renascimento quanto pelo nosso último imperador, ambos exemplos repletos de sabedoria que, definitivamente, não é

 
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn
Comentários desativados  comments 
formats

Já chutou um cavalete hoje?

Quando virou primeiro-ministro do Jango, Tancredo encontrou um emaranhado de nós para desatar. A herança do Jânio era o retrato perfeito de sua confusão pessoal. Não havia tempo para desatar um por um e muito menos clima para canivete. As excentricidades não perdoavam sequer os detalhes – que são a casa de Deus –, e

 
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn
Comentários desativados  comments 
formats

A democracia não é de ninguém

1º de Abril de 2014, 50 anos do golpe de 1964 Há 60 anos, em 1954, Tom Jobim e Billy Blanco fizeram um samba-canção que foi imortalizado num dueto maravilhoso entre Dick Farney e Lúcio Alves: Tereza da Praia, um “amor de pequena que não é de ninguém”. Dez anos depois um general de pijamas

 
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn
Comentários desativados  comments